Após 4 anos de sofrimento, jovem se recupera de retirada de rim


Sem título

Desde 2014, a jovem independentina, Tatielen Ribeiro, vinha travando uma luta para conseguir uma cirurgia de cálculo renal. Entre a descoberta do problema e o tão esperado procedimento para a retirada das pedras, ela enfrentou muitas dores, falta de leito em hospitais e até convulsões. Hoje a moça chama história de “segunda chance” e segue acompanhamento médico ao lado de sua família.
As dores do lado direito das costelas começaram aos 14 anos de idade. Nesse período, Tatielen buscava ajuda médica em postos de saúde, mas só recebia medicação para as dores e a resposta de que não era nada.

Na terceira consulta, o médico a encaminhou para a Santa Casa de Andradina, onde foi confirmado o quadro de cálculo renal. “Com o diagnóstico em mãos, me receitaram medicamentos para dissolver as pedras na urina por serem pequenas, mas isto não aconteceu. Depois de um período livre do problema, as dores voltaram ainda piores”, contou Tatielen.
Nesse período, Tatielen conheceu seu marido, Vandoil Carlos Ribeiro. “Ele foi um anjo em minha vida. Com muita dificuldade conseguiu um exame de ultrassom que comprovou que as pedras haviam aumentado de tamanho. Então, o médico decidiu fazer uma cirurgia a laser, o que não adiantou em nada, além de quebrar os cálculos, machucou internamente”, completou.
Depois do episódio, Tatielen começou uma busca por uma nova cirurgia, pois sua situação só piorava. Depois de uma semana tentando, conseguiu, porém novamente foi em vão: suas dores pioraram e, desta, vez, vieram as convulsões. Já em casa, a jovem não comia, só vomitava e tinha febre.
Novamente no médico, Tatielen foi de Ilha Solteira a Presidente Prudente e lá, teve que aguardar um leito nos corredores do hospital enquanto fazia exames. Deste episódio à volta para casa, ela fez mais uma cirurgias para retirada do rim direito, passou seu aniversário na UTI, ficou em coma, perdeu muito sangue e quase não resistiu. “Muita coisa passou pela minha cabeça. Sonhei com Deus e Nossa Senhora muitas vezes. Minha família, amigos e marido sempre estiveram ao meu lado, tudo isso me deu forças. Estivemos em oração para que meus órgãos não parassem de funcionar, principalmente meu rim esquerdo”, disse.
Depois de tantos altos e baixos, o rim esquerdo de Tatielen voltou a funcionar. “Foi um milagre meu rim ter voltado a funcionar, pude urinar normalmente. Minha família participou de cada vitória. Fiz muitos amigos no hospital onde fiquei quase um mês, e no dia 31 de dezembro de 2018 voltei para casa com uma nova chance”, finalizou.

Próximo Dupla de Nova Independência vence torneio de Truco em Castilho
Anterior Desfile, Shows, devem marcar o 54° aniversário de Nova Independência